Livros

Ler, ler, ler, viver a vida que outros sonharam

A Liberdade Possível

| 0 comentários

LIBERDADE POSSIVEL, A

Autor: GIKOVATE, FLAVIO
Editora: MG EDITORES
Assunto: PSICOLOGIA
ISBN : 8572550445
ISBN-13: 9788572550444
Livro em português
Brochura
2ª Edição – 2006 – 320 pág.

Este livro corresponde à reescritura do Ser livre, publicado pelo autor em 1983. Alterando e atualizando o conteúdo, a obra tem como objetivo mostrar formas de se conhecer melhor, ao que ele chama de desenvolvimento íntimo quando o auto-conhecimento está a serviço do crescente domínio de nossa razão sobre todas as emoções. A obra é um roteiro claro e direto que mostra como alcançar a liberdade pessoal e a maior felicidade possível na vida real.

===============

Afinal, o que é a liberdade? Esse idealizado e vago desejo, que parece às vezes inatingível, tem inúmeros conceitos e varia conforme a época, a pessoa, o momento da vida. Pesquisador do assunto há várias décadas, o psicoterapeuta Flávio Gikovate discorre sobre o tema com a maturidade que os anos de experiência lhe outorgaram. Para ele, liberdade é fundamentalmente um processo de autoconhecimento. Em ‘A liberdade possível’, em segunda edição, o autor analisa o conceito do ponto de vista da biologia, dos instintos, da razão e do meio social. E conclui – só é livre quem combate as tendências generalizadas e se deixar seduzir pelas próprias idéias. O autoconhecimento, diz o autor, é o melhor instrumento para nos fortalecer e nos conduzir ao destino que pretendemos. Ao nos tornarmos mais fortes e lúcidos, ficamos mais independentes do julgamento dos outros e conquistamos a verdadeira liberdade. E pessoas assim são muito necessárias, afirma Gikovate, para contribuir com a construção de uma sociedade mais justa. O objetivo do livro, então, é fazer o leitor se voltar para dentro de si e refletir sobre a sua idéia de liberdade para se conhecer melhor, condição essencial para que adotemos posturas de vidas adequadas. Gikovate não subestima a pressão que o meio exerce sobre o ser humano e muito menos julga que sejamos imunes, por exemplo, à publicidade, que é porta-voz de grandes interesses econômicos. Para o autor, cabe à razão decidir, entre as várias tendências, qual deverá prevalecer, e o indivíduo será coerente desde que se comporte de acordo com sua deliberação.

***Livro todo lido. Lido duas vezes. Concluído em 30/01/07

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • PDF
  • Posterous
  • RSS
  • Technorati
  • Tumblr
  • Bitacoras.com
  • email
  • Google Buzz
  • LinkedIn
  • Orkut

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.