Livros

Ler, ler, ler, viver a vida que outros sonharam

Tete-a-Tete

| 1 Comentário

TETE-A-TETE: SIMONE DE BEAUVOIR E JEAN-PAUL SARTRE

TÍTULO ORIGINAL: TETE-A-TETE: SIMONE DE BEAUVOIR AND JEAN-PAUL SARTRE
ISBN: 8573027827
IDIOMA: Português.
ENCADERNAÇÃO: Brochura | Formato: 16 x 23 | 436 págs.
ANO DA OBRA/COPYRIGHT: 2005
ANO EDIÇÃO: 2006
AUTOR: Hazel Rowley
TRADUTOR: Adalgisa Campos da Silva

Clique aqui para ler o primeiro capítulo do livro.

Biografia focada na relação amorosa de Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir confirma a enorme influência do casal de escritores sobre o pensamento político e a moral de sua época

“Um compreensivo, mas franco relato da parceria duradoura de Sartre e Beauvoir… Rowley consegue recapturar o charme e o brilho da relação em seus estágios iniciais, o que faz sua história ainda mais tocante e depressiva” New York Times

“Os leitores vão virar essas páginas… hipnotizados” The Washington Post

O impacto da obra de Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre no pensamento moderno é inestimável, mas o casal de escritores-filósofos-existencialistas é lembrado igualmente pela vida que levou. Eram brilhantes, corajosos, indivíduos profundamente inovadores. Este livro mostra a paixão, energia, audácia, humor e contradições de seu notável e pouco-ortodoxo relacionamento. Mostra também, sobretudo, como a coragem e o brilho intelectual de Sartre e Beauvoir influenciaram de forma determinante o pensamento da época em que viveram.

Em Tête-à-Tête, a biógrafa Hazel Rowley nos oferece o primeiro retrato duplo dessas duas figuras colossais e sua intensa e turbulenta relação. Através de entrevistas originais e acesso a material inédito, Rowley os retrata de perto, em seus momentos mais íntimos.

Testemunhamos Beauvoir e Sartre em seu círculo social, descobrimos a natureza dos seus múltiplos relacionamentos românticos, que rompiam os padrões culturais e morais da época. Sarte e Beauvoir tiveram vidas afetivas e sexuais intensas e abertas, chegando a se envolver simultânea e separadamente com o mesmo amante. O livro também relata relações intensas, tempestuosas e duradouras, com a que juntou Beauvoir e o romancista Nelson Algren.

Também os seguimos em suas muitas viagens, envolvendo encontros com personalidades como Franklin Roosevelt, Nikita Kruschev e Fidel Castro, conhecendo ainda seus esforços para protestar contra as guerras na Argélia e no Vietnã. Conferimos as conversas do casal sobre clássicos de Sartre como A Náusea, O Ser e o Nada e As Palavras, e sobre as obras-primas de Beauvoir O Segundo Sexo e Os Mandarins, além de suas memórias. E ficamos sabendo das angustiadas discussões que levaram Sartre a recusar o Prêmio Nobel.

– Minha tarefa foi em parte montar um retrato em cores das pessoas que formavam o que Sartre e Beauvoir chamavam de ‘a família’. Não é possível compreender o relacionamento entre os dois sem compreender as outras pessoas que eram íntimas deles – explica a autora.

Edição brasileira traz trechos embargados por herdeiros na Europa

Tête-à-Tête, que apresenta inúmeros extraconjungais do casal, foi lançado inicialmente em duas versões, depois que a filha adotiva de Sartre, Arlette Elkaim Sartre, herdeira de seu legado, fez objeções ao uso de cartas inéditas. Alguns trechos destas correspondências estão publicados na versão americana, regida por leis de direitos autorais mais flexíveis, mas não nas edições européias. A edição brasileira se baseia no texto da edição publicada nos EUA.

Segundo a autora, as alterações que restaram são mínimas e não vão prejudicar significativamente um livro que se baseia em correspondências antes inéditas entre os existencialistas franceses e seu grande círculo de amigos e amantes. “Uma quantidade muito grande de material veio à tona após a morte de Sartre e Beauvoir, incluindo grossos volumes de suas cartas. Mas ninguém sabia nada sobre essas pessoas que os cercavam”, afirmou a autora Hazel Rowley à agência Reuters em sua residência em Nova York.

A americana Hazel Rowley é especialmente interessada por Beauvoir e Sartre há mais de 25 anos. Em 1976, ela entrevistou Beauvoir e escreveu sua tese de doutorado sobre existencialismo. Foi bolsista da Rockefeller Foundation e do Bunting Institute. Lecionou na Universidade de Iowa, nos EUA, e na Deakin University, na Austrália. É autora de Richard Wright: the Life and Times, uma biografia do escritor afro-americano autor de Native Son. Rowley vive em Nova York e em Paris, onde escreveu este livro.

REPERCUSSÃO NA IMPRENSA INTERNACIONAL:

“Beauvoir é a heroína do livro, mas Rowley revela muito de Sartre: o quanto ele trocava, sustentava e dependia de suas muitas amantes; e a necessidade compulsiva que ele tinha de seduzir mulheres muito mais atraentes do que ele, apesar de sua tépida sensualidade. Fora as intrigas, Rowley conclui que para [ambos] o compromisso mais duradouro era não ao outro ou aos seus muitos amantes, mas às letras, à política, e ao legado filosófico”, Publishers Weekly

“Começando com seus primeiros encontros em 1929 e continuando até suas mortes mais de 50 anos depois, esta narrativa maravilhosamente construída apresenta as vidas complicadas destes intelectuais de vontade de ferro; e seus muitos amantes, companheiros, amigos, preocupações e paixões, prendendo a atenção do leitor como se fosse um romance-mas claramente comunica a força da realidade. Meticulosamente pesquisada e bem escrita esta biografia dupla é altamente recomendada”. Library Journal

“… a surpresa da estação, um livro de virar páginas… Emerge um retrato admirador, porém equilibrado, de intelectuais ativistas, determinados a praticar a liberdade que prezavam. Rowley resume suas idéias com claridade e brevidade impressionantes. Ela também aponta aspectos ofensivos ou mal-orientados de seu comportamento, como as descrições frias de Sartre de ter tomado a virgindade de uma amante, ou seu apoio duradouro do comunismo.” Los Angeles Times

“A narrativa de Rowley é sóbria, compacta, às vezes elíptica; sempre informada e informativa. Esta especialista em Beauvoir, que escreveu a tese de doutorado sobre ‘Autobiografia Existencialista’, juntou relatos de testemunhas oculares, entrevistas e cartas inéditas, para reconstituir estes fragmentos de um pacto de amor que, tanto pela sua singularidade como pela sua crueldade ocasional, aparentemente deixa estupefata a América contemporânea”. Le Monde

“Hazel Rowley, autora de biografias de Christina Stead e Richard Wright, fez entrevistas extensas e pesquisou mais da correspondência inédita de Sartre e Beauvoir do que qualquer biógrafo anterior. O livro gerou controvérsia desde o começo… Rowley é uma narradora fascinante. Seu livro conta a historia repugnante, inspiradora e improvável mais completamente e concisamente que qualquer outro.” New York Times Book Review

“Rowley revela por completo a natureza quimérica e as dolorosas conseqüências da infame aliança entre Sarte e Beauvoir. Paciente e analiticamente, ela narra o ímpeto e conseqüências da incansável mania de sedução de Sartre e a bissexualidade defensiva de Beauvoir, e detalha com algum desalento o espantoso emaranhado de seus vagamente incestuosos e sempre manipuladores casos amorosos… Em última análise, o que Rowley revela com perspicácia e franqueza nessa dupla biografia é que esses dois lutadores da justiça e liberdade estavam comprometidos a todo custo a transmutar existência em arte”. Booklist

“Escrevendo a partir de cartas não publicadas e entrevistas com ex-amantes de ambos escritores, Rowley magistralmente alterna em sua descrição de Sartre e sua ‘esposinha’ como freqüentadores de cafés, intelectuais de esquerda e manipuladores sexuais cruéis e ciumentos, como que saídos direto de Ligações Perigosas”. Entertaiment Weekly

Compartilhe
  • Print
  • Digg
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • MySpace
  • PDF
  • Posterous
  • RSS
  • Technorati
  • Tumblr
  • Bitacoras.com
  • email
  • Google Buzz
  • LinkedIn
  • Orkut

One Comment

  1. Pingback: Bonjour avec l’inspiration | Bruna Tessaro

Deixe uma resposta

Campos requeridos estão marcados *.